Por Cláudio da Costa Oliveira – janeiro 2021

A planejada paralisação dos caminhoneiros a partir de 1º de fevereiro que vem sendo anunciada pelo Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas – CNTRC, e por uma de suas principais afiliadas, a Associação Nacional de Transporte do Brasil – ANTB, e que tem como principal reivindicação o fim da política de Preço de Paridade de Importação (PPI) adotada pela Petrobrás incomodou tanto os dirigentes da companhia, que aparentemente desesperados e afoitos, publicaram o Fatos e Dados a seguir:

Verdades sobre o preço do diesel que você precisa saber

14.jan.2021

1 – O preço do diesel no Brasil é um dos mais caros do mundo?
Não. No início de janeiro, o preço do diesel na bomba era 27,4% inferior à média mundial. Entre 165 países, 121 tinham preço nos postos mais alto do que no Brasil.

2 – O diesel só aumenta de preço?
Não. O preço dos combustíveis pode subir ou descer em função do mercado, são commodities globais. Em 2020, diminuímos o preço do diesel nas refinarias em 14%.

Preço médio do litro de diesel nas refinarias no ano passado:
• 1º de janeiro – R$ 2,33
• 31 de dezembro – R$ 2,02

3 – É a Petrobras que determina o preço do diesel nos postos?
Não. Nem todo mundo sabe, mas o preço do diesel vendido nas refinarias representa menos da metade (em média, 45%) do preço cobrado nas bombas. O restante corresponde a impostos estaduais e federais, custos adicionais com biodiesel e margem da distribuição e dos postos de combustíveis.

4 – Por que o preço do diesel no Brasil precisa seguir a cotação internacional se o país é um grande produtor de petróleo?
É verdade que o País é um grande produtor de petróleo e gás natural. Mas o Brasil também é importador de diesel e outros combustíveis, em razão de limitações operacionais das refinarias e também da dinâmica do mercado, que leva muitas empresas a trazerem produtos do exterior. Estas importações representam uma competição importante no mercado brasileiro de combustíveis e ajudam a regular o preço oferecido aos consumidores.

O comportamento do preço do diesel não é diferente de outras commodities negociadas no mundo. Quando o preço da carne ou da soja sobe no exterior, pagamos mais por estes itens no supermercado, mesmo que sejam produzidos aqui. É a lógica de um mercado mundial integrado.

Por isto, se o preço do diesel no Brasil ficar abaixo do mercado internacional, nenhuma empresa vai querer importar. A Petrobras tem duas opções neste cenário: não importar e deixar o mercado desabastecido; ou importar e vender com prejuízo, comprometendo a capacidade da Petrobras de investir e gerar riqueza para o País.

5 – A Petrobras poderia baixar o preço nas refinarias?
Se reduzíssemos o preço do diesel nas refinarias independentemente das cotações internacionais, estaríamos repetindo erros do passado, que geraram a maior dívida entre empresas no mundo e quase quebraram a Petrobras.

6 – Então, qual a contribuição da Petrobras?
Nossa contribuição é gerar valor, investindo para produzir mais petróleo, gás natural e combustíveis a custos baixos, sem desviar do foco em segurança e meio ambiente.

Em 2020, atingimos recordes históricos de produção de petróleo e gás natural e de exportações de petróleo e de óleo combustível.

Resultados como estes significam mais empregos e maiores receitas para os governos municipais, estaduais e federal. A Petrobras é a maior contribuinte de impostos no Brasil.

Trata-se de um conjunto de perguntas bobas e respostas enganosas com o claro objetivo de iludir o cidadão brasileiro.

Não quero perder muito tempo analisando um documento que carece de qualquer sustentação, mas em defesa daqueles que nada sabem sobre a Petrobrás lembro:

1- Se existem 121 países que têm um preço do diesel superior ao praticado no Brasil não me preocupa. O que me preocupa, e gostaria de conhecer mais, é como 43 países têm preço do diesel inferior ao praticado no Brasil. Que países são estes? Que preços eles praticam? Têm reservas como nós? Têm refinarias com baixo custo de produção como nós?

2- Analisar e discutir mentiras é absoluta perda de tempo, mas diante da afirmação: “Se reduzíssemos o preço do diesel nas refinarias independentemente das cotações internacionais, estaríamos repetindo erros do passado, que geraram a maior dívida entre empresas no mundo e quase quebraram a Petrobras“, recomendo a leitura dos documentos publicados pela Aepet em 2017 : “O mito da Petrobras quebrada”   https://www.aepet.org.br/uploads/paginas/uploads/File/ClaudioFelipe.pdf 

E ainda “Avaliação dos ‘maus investimentos’ e da corrupção na formação da dívida da Petrobrás” https://www.aepet.org.br/uploads/paginas/uploads/File/Formacao%20da%20divida.pdf 

A grande beneficiada com a política de preços da Petrobrás é a Shell como demonstrei no artigo “A Shell é a maior beneficiada da absurda política de preços da Petrobrás, que revolta caminhoneiros e o povo”  https://www.aepet.org.br/w3/index.php/conteudo-geral/item/5686-a-shell-e-a-maior-beneficiaria-da-absurda-politica-de-precos-da-petrobras-que-revolta-caminhoneiros-e-o-povo 

Atualmente tudo que a administração da companhia faz é vender ativos (rentáveis) da empresa (sob os quais recebem bônus) para distribuir dividendos, como vemos no quadro de Usos e Fontes do Plano de Negócios 2021/2025 apresentado no final de 2020 em Nova York:

Vejam que para pagar entre US$ 30/35 bilhões em dividendos no período 2021/2025 a empresa terá de vender entre U$ 25/35 bilhões de seus ativos

Tudo está melhor explicado no artigo “Em Nova York direção da Petrobrás recebe ordem para pagar US$ 35 bilhões em dividendos” https://www.aepet.org.br/w3/index.php/conteudo-geral/item/5544-em-nova-iorque-direcao-da-petrobras-recebe-a-ordem-para-pagar-us-35-bilhoes-em-dividendos#:~:text=Em%20Nova%20Iorque%20dire%C3%A7%C3%A3o%20da,US%24%2035%20bilh%C3%B5es%20em%20dividendos&text=Somente%20hoje%20(30%2F11),(PE%202020%2D24)

ACORDA, POVO BRASILEIRO!