Por Cláudio da Costa Oliveira – dezembro 2020

O Conselho Nacional dos Transportadores Rodoviários de Cargas – CNTRC – está divulgando uma lista de deputados federais considerados traidores da pátria por terem aprovado sucessivamente os seguintes Projetos de Lei:

– PLS 131/2015 do senador José Serra que retirou a obrigatoriedade da Petrobrás como operadora do pré-sal.

– PL 8039/2017 do deputado José Carlos Aleluia para entregar reservas do pré-sal brasileiro para empresas estrangeiras.

– PL 4199/2020 do governo federal, que entrega o transporte de cabotagem no Brasil para um cartel de empresas estrangeiras, prejudicando milhares de caminhoneiros autônomos e toda a cadeia envolvida no transporte rodoviário de longa distância (postos de combustíveis, oficinas, borracharias, restaurantes, hotéis etc). Este PL foi encaminhado para o Senado e, assim que sair a votação, os caminhoneiros prometem listar os senadores traidores da pátria.

Até o momento a listagem contém informação de seis Estados (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Bahia e Rio Grande do Sul). Os caminhoneiros prometem concluir o levantamento para todos os Estados da Federação.

Depois de concluir esta primeira fase responsabilizando os membros da Câmara e do Senado, os caminhoneiros prometem destacar os campeões do lesa-pátria no país, que são aqueles que, além de estarem incluídos nesta primeira lista, aprovaram também o PL 8939/2017 originado da MP 795 do governo Temer, também conhecida como “MP do trilhão” ou “MP da Shell”. Trata-se da isenção total de impostos para empresas estrangeiras explorarem o pré-sal brasileiro. Em 25 anos o total de isenção alcançará R$ 1 trilhão. Ou seja, nossos parlamentares de um lado aprovam uma reforma da previdência, para reduzir R$ 1 trilhão de gastos com a população mais pobre e, de outro, isentam multinacionais estrangeiras no mesmo valor. O lobby estrangeiro no Congresso tem prioridade sobre o povo brasileiro.

A seguir, os nomes dos traidores da pátria apurados até o momento pelos caminhoneiros:

SÃO PAULO – Alex Mamente, Baleia Rossi (indicado por Rodrigo Maia para sucedê-lo na presidência da casa), Bruna Furlan, Capitão Augusto, Carlos Sampaio, Celso Russomano, Eduardo Bolssonaro, Eduardo Cury, Eli Correia Filho, Gilberto Nascimento, Herculano Passos, Marcio Alvino, Miguel Lombardi, Paulo Freire Costa, Pr. Marco Feliciano, Tiririca, Vanderlei Macris e Vitor Lippi.

RIO DE JANEIRO – Áureo Ribeiro, Jair Bolsonaro e Paulo Gamine

MINAS GERAIS – Bilac Pinto, Eduardo Barbosa, Mauro Lopes, Misael Varela, Newton Cardoso Jr, Paulo Abi-Ackel, Stefano Aguiar e Zé Silva. 

PARANÁ – Luiz Nishimori e Rubens Bueno.

BAHIA – Caca Leão, José Rocha, Pastor Isidoro e Sergio Brito.

RIO GRANDE DO SUL – Alceu Moreira e Giovani Cherini.