Por Cláudio da Costa Oliveira novembro de 2020

             “No Brasil são faladas muitas línguas”

Nos últimos dias 20 e 21 de novembro, no centro de convenções do Hotel Hampton, em Guarulhos SP, ocorreu o 2º encontro do CNTRC, que contou com a presença de representantes dos caminhoneiros (sindicatos, associações, cooperativas etc.) de 22 unidades da federação brasileira.

Segundo estimativas, o Brasil tem cerca de 1 milhão de caminhoneiros autônomos e 1,5 milhão de caminhoneiros celetistas (que trabalham em empresas).

Foto do grupo de dirigentes tendo ao fundo dois banners com a carta testamento de Getúlio Vargas – Divulgação

Na ocasião, foi apresentada a estrutura do Conselho e eleita sua diretoria, bem como feitas todas as formalidades necessárias para o registro oficial da entidade e apresentada proposta de Estatuto Social.

Como presidente da CNTRC, foi eleito, por unanimidade, o Sr. Plinio Nestor Dias (atual presidente do sindicato dos transportadores autônomos de São José dos Pinhais – PR). Como vice-presidente, o Sr. Alecio da Cruz Paulino (transportador autônomo de Barra Mansa – RJ). Como  1º tesoureiro, a Sra. Lucélia Pelegrini Venerosa (atual diretora de comunicação do sindicato dos trabalhadores autônomos de Ribeirão Preto – SP); e, como 2º tesoureiro, o Sr. Luis Fernando Ribeiro Galvão (atual presidente do sindicato dos transportadores autônomos de Guarulhos – SP).

Na oportunidade fui convidado e aceitei, com muita honra, a ocupar uma das diretorias da nova organização.

O Conselho vem para atender os anseios de uma categoria que se sente abandonada, mas cuja relevância ultrapassa em muito os limites dos assuntos relacionados a eles mesmos, caminhoneiros.

Em rápida palestra pude ressaltar que a principal força da categoria dos caminhoneiros não é a paralização. A principal força da categoria é a comunicação que, se bem utilizada, pode gerar frutos não só para eles, como para toda nação brasileira.

Uma das principais características do caminhoneiro é seu espírito patriótico. Sua mente sempre atenta aos verdadeiros interesses nacionais.

Assim como ocorre com a maioria do povo brasileiro, os caminhoneiros divergem entre si em muitos assuntos de menor relevância, mas quando se trata da defesa nacional todos estão unidos num só pensamento.

Na verdade, as forças nacionalistas brasileiras estão dispersas, separadas pela falta de capacidade de comunicação.

O povo brasileiro não fala e não entende nossa forma de falar. Tentando esclarecer este fato, costumo dizer que depois que aprendemos álgebra esquecemos da aritmética.

Como à maioria do povo brasileiro não é dada a oportunidade do conhecimento da álgebra, seu raciocínio permanece aritmético. As conclusões podem ser as mesmas, pela álgebra ou pela aritmética, mas os caminhos são bem diferentes. E nós perdemos contato nos caminhos.

Os caminhoneiros, no entanto, têm a capacidade de compreenderem os nacionalistas e, ao mesmo tempo, conseguem se comunicar com o povo brasileiro.

Considerando isto, apelo para os dirigentes das sociedades civis organizadas, que tenham como fundamento o pensamento nacionalista, apoiem e contribuam da forma que puderem para o desenvolvimento do CNTRC.

O Conselho é formado por patriotas que buscam o melhor para nossa nação.

Ao meu modo de ver, com a criação deste Conselho se estabelece uma oportunidade de aglutinação das forças nacionalistas hoje dispersas. Um forte canal de comunicação.

No Brasil são faladas muitas línguas. Para demonstrar, vou aproveitar este artigo para enviar uma mensagem de incentivo aos irmãos caminhoneiros, utilizando a linguagem adequada:

Prezados amigos caminhoneiros,

De A a Z, e de 1 a 100, para não faltar ninguém.

Cláudio Oliveira por cá. Segue meu QST(1)

Trazendo esperança de dias melhores para as QTH’s(2) dos caminhoneiros, acaba de ser criado o Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas – CNTRC

Cobrindo todo o território nacional de 1.a(3) a 9.a(4), o novo Conselho atenderá todo tipo de carga pesada, seja um barriga de aço (5) , um barracão de zinco (6) ou uma geladeira deitada(7).

A cristal(8) ficará tranquila, podendo assistir a caixa de abelha(9) sem remorso sabendo que o carvão(10) agora tem uma proteção extra.

Vamos aderir. Fiquem em paz.

Cláudio da Costa Oliveira

Economista da Petrobrás aposentado

P.S. – Tradução : (1) QST = Comunicado de interesse geral

                               (2) QTH = Casa, residência

                               (3)  1.a  = Rio de Janeiro e Espírito Santo

                               (4)  9.a  = Goiás, Mato Grosso, Ilhas oceânicas

                               (5) barriga de aço = caminhão tanque

                               (6) barracão de zinco = caminhão baú

                               (7) geladeira deitada = caminhão frigorífico

                               (8) cristal = esposa

                               (9) caixa de abelha = televisão

                               (10) carvão = marido